fbpx

Como Descobrir o Meu Caminho Na Vida?

Uma das primeiras coisas que eu quero deixar claro aqui nesse artigo é que o seu caminho na vida vai muito além da forma como você vai ganhar dinheiro e custear a sua sobrevivência. Essa é uma ideia equivocada e estreita. O seu caminho é a estrutura da sua vida. Muito além de ter uma ocupação que nos traz um sustento, também temos uma vida familiar, hobbies etc, e é importante encontrar um ponto de intersecção.

A maioria das pessoas quando trata desse assunto vem sempre com uma fórmula, uma espécie de segredo não revelado, e a forma como eu lido com isso é muito diferente. Além do fato de que caminho não tem necessariamente a ver com a nossa formação ou com aquilo que a gente faz para se sustentar, ainda tem o aspecto de que cada vez menos o nosso caminho é assim tão rígido quanto nos é inicialmente dito.

Uns bons anos atrás, quando eu não sabia ainda muito bem para qual direção levar minha vida, eu ainda tinha aquela ideia de que escolher um caminho significava escolher uma faculdade, seguir fazendo estritamente o que aquela carreira escolhida representava, trabalhar 40 anos com aquilo e depois me aposentar. Essa é uma visão que é vendida para nós de forma subentendida durante toda a nossa vida, mas ela não é verdade.

Esse modelo de trabalho está morrendo. Algumas pessoas vão lamentar e achar errado, mas isso não faz a menor diferença pois o fato é que as coisas estão mudando. Hoje em dia, a nossa educação se propõe sim a nos dar uma base, mas cada vez menos as pessoas trabalham exclusivamente na área que tem formação. E tem outra coisa: muitas vezes as pessoas começam em uma área e ao longo da vida elas acabam seguindo um caminho completamente diferente disso, essa cada vez mais vai ser a regra e não a exceção.

Com esse ponto eu quero introduzir a noção de que a vida vai nos surpreender, e é por isso que é importante fazermos planos, mas também entender que a gente não vai conseguir seguir todos eles. Eu te convido a fazer uma análise dos últimos cinco anos da sua vida e me dizer se você conseguiu seguir certinho todos os planos durante esse tempo. Eu imagino que não, certo? E isso não é um fracasso, e sim a natureza da vida. Tenha isso em mente.

Outra coisa que precisamos ter em mente ao começar a discutir sobre nossos caminhos é que eles são sob medida, e o que funciona para outras pessoas não vai sempre funcionar para você. Não adianta tentar “calçar” o caminho de outra pessoa, por mais interessante e bonito que seja.

Muitas vezes temos um ídolo, ou até alguém próximo, e tentamos de certa forma fazer a nossa vida é parecer com a daquela pessoa, porque aquele é o referencial que a gente tem.

Isso é um equívoco enorme.

Você é diferente de todas as outras pessoas que existem no universo. Você pode dizer “nossa, mas eu sou tão comum, eu sou tão parecido com os outros…” E sim, todos nós somos comuns, mas o fato de sermos um pouco parecidos não significa que somos exatamente iguais. Cada um de nós é absolutamente exclusivo, todas as coisas que existem no universo são. Embora à primeira vista muitas coisas possam se parecer, nada é igual em sua essência, então não é porque a outra pessoa está feliz fazendo algo que você vai ser feliz com isso também.

E aqui você pode dizer “ah, mas eu não vou saber se eu vou ser feliz, se não fizer” e isso é verdade, mas é diferente decidir que quer algo porque viu alguém sendo feliz com aquilo e decidir optar por algo porque sente que faz sentido para você. Existe uma diferença crucial entre ambos.

Uma outra questão que a ser levada em conta e que é bem importante é sobre as nossas estações. Já percebeu que tem momentos da vida em que algumas coisas fazem muito sentido, e que quando aquela fase passa aquelas mesmas coisas não fazem mais sentido nenhum? Pessoas fazem parte da natureza, e assim como a natureza tem estações, nós também temos e precisamos respeitá-las.

Existem momentos da vida que são muito mais ativos, em que a gente quer realizar muito mais; existem momentos que são mais observacionais, em que a gente presta mais atenção no que está acontecendo e não realiza tanto; existem outros momentos em que a gente realiza as coisas com muita facilidade, outros em que é mais difícil fazer as coisas acontecerem, e por aí vai. Temos que manter em mente que a pressa é nossa inimiga.

Não adianta batermos o pé sobre querermos que tudo aconteça agora, porque a vida vai apenas gargalhar na nossa cara. A vida não está nem aí para quando queremos que as coisas aconteçam, ela vai seguir seu próprio ritmo e o que ela pede da gente é coragem e disposição. Todos tem invernos, verões, outonos e primaveras, e precisamos saber agir de acordo com o ritmo que a vida está nos propondo ao invés de ficar tentando dar murro em ponta de faca e fazer as coisas acontecerem de forma que não combina com o que a vida tem para nós nesse momento. Eu vejo muitas vezes as pessoas em momentos de inverno, que seriam aqueles momentos em que a vida pede uma reflexão, que você se volte para dentro e reavalie seus objetivos, e a pessoa está ali querendo que seja tudo para ontem, exasperada para fazer e acontecer. Muitas vezes estamos em um inverno da vida e a gente quer que as coisas prosperem, mas aquele não é assim. 

 

Como diferenciar as fases da vida e saber esperar?

Podemos diferenciar desenvolvendo uma sensibilidade para com os ritmos da vida. Um inverno da vida não significa que precisamos ficar totalmente estáticos, não é para deixar de trabalhar, de produzir e entregar resultados. Apenas pode ser um momento em que você percebe que, quando inicia um projeto novo, ele não sai como deveria mesmo estando muito bem colocado, muito bem planejado. Com isso você percebe que talvez possa guardar aquele projeto e voltar com ele em um momento em que sentir a vida mais receptiva. Não existe uma fórmula para isso, porque os ritmos da sua vida são totalmente diferentes dos ritmos da minha e da vida dos outros, e a realidade é que a gente nunca está realmente preparado.

 

Então o que funciona para entender se aquele é um momento de esperar ou se a gente está só sendo estático, esperando cair do céu? 

Eu nunca espero. É uma questão de descobrir o que está funcionando para você e o que não está funcionando. É uma atitude, uma forma de trabalhar as coisas da sua vida. É importante a gente observar nossas situações passadas e ver o que funcionou ou não antes, mas é ainda mais importante observar o nosso interior e como estamos nos sentindo no presente. É ver o que faz sentido no momento com base no que queremos pro futuro, e agir de acordo com isso. É ter a capacidade de olhar para dentro, se ouvir, e ouvir esse feedback que está sempre disponível internamente e agir de acordo com ele. 

 

Você sabe o que é sucesso para você? 

A maioria das pessoas não sabe o que é o sucesso para elas, apenas absorvem uma noção por meio dos pais, dos amigos, dos familiares e outros, mas não tem realmente uma ideia do que seria sucesso para si mesmo. A visão do sucesso na sociedade em que a gente está inserido é ter muito dinheiro no banco, chegar no topo da sua profissão, e de preferência que seja uma profissão bem tradicional. É ter o melhor carro, a melhor casa e um casamento “perfeito”, mesmo que seja só nas aparências, mas isso não necessariamente precisa fazer sentido para cada um de nós. A gente precisa ser bem sucedido de acordo com a nossa noção de felicidade, e ela é muito particular. 

 

O que é sucesso para você?

 

Algumas perguntas para ajudar nessa reflexão: 

  • O que é sucesso para você, na sua vida financeira? 
  • O que é sucesso para você na sua vida familiar?
  • O que é sucesso para você na sua vida afetiva?
  • O que é sucesso para você na sua relação consigo mesmo?

Se você não tem clareza no que é sucesso para você nessas quatro áreas, isso pode ser uma parte importante da origem dos problemas que você está enfrentando. Você não consegue alcançar os resultados que quer na vida porque você sequer tem clareza de quais são eles. 

Um outro ponto é que as pessoas ficam esperando as condições perfeitas para colocar em prática planos para chegar nos objetivos que elas têm em relação ao sucesso, e o que eu quero deixar claro com relação a isso é: perfeição é fazer. A única coisa que pode ser perfeita é a coisa realizada, a coisa feita. Aquilo que nunca foi realizado é inútil. Então se você quer começar a avançar na sua vida e com relação a descobrir o seu caminho, eu te proponho começar a fazer, mesmo que as condições sejam menos do que perfeitas. O seu potencial é inútil enquanto você não o colocar em prática. 

 

Sucesso na vida financeira pra mim é poder pagar tudo e ter tudo que eu quero sempre

O problema desse tipo de objetivo é que ele costuma nunca ser alcançado. Nada nunca é suficiente. Dinheiro é incrível e necessário, mas é importante que se coloque em perspectiva as experiências que desejamos ter com o dinheiro e não apenas o dinheiro por si mesmo.

A gente tem essa ideia de que ter sucesso é conseguir o que a gente quer, e isso é legal sim, mas às vezes é tão difícil, é tanto sacrifício que olhamos olha para trás e pensamos “nossa, teria sido tão mais simples seguir por outro caminho que não era exatamente o que eu queria, mas que era mais fácil. Era menos doloroso, menos sofrido… “

Então às vezes a gente precisa lembrar que conseguir o que se quer é legal, mas pode ser que seguir o caminho mais leve, ter uma vida com menos nos faça mais feliz, mesmo sem tudo que se deseja. É muito importante entender que ter tudo que queremos tem pouco a ver com ser feliz. Eu percebo que quase sempre é mais importante ter uma vida que não é tão pesada do que a gente dar tão duro, sofrer tanto para conseguir coisas que frequentemente, não trazem a satisfação que esperávamos.

 

Sucesso na minha relação comigo mesma é me aceitar como sou, ser mais gentil e compreensivo comigo, mais feliz e completo na minha própria companhia

Ser gentil consigo mesmo é um dos maiores objetivos de sucesso que talvez seja um dos mais universais, e esse funciona para todo mundo. Se todos buscassem ser mais gentis consigo mesmos, muitos problemas seriam resolvidos. Quando notar que está se cobrando muito, você pode parar, respirar e pensar que poderia ser mais gentil consigo mesmo, ter paciência como você teria com um amigo. 

 

Minha mente não para e eu estou sempre encontrando motivos para não estar satisfeito com o que eu faço

Esse comportamento de perfeccionismo é super comum, e a gente precisa conscientemente se puxar para a realidade do que é possível e realizável nas nossas circunstâncias. Quando você se coloca nessa posição do que pode realmente ser colocado em prática com o que se tem disponível agora, você consegue sair da fixação do perfeccionismo.

 

Você não acha que é necessário tomar cuidado em ser gentil consigo mesmo para não acabar ficando acomodado?

Ser gentil consigo mesmo é diferente de ser permissivo consigo mesmo. Ser realista não é o oposto de ser legal. Quando estamos nos cobrando muito, nós não estamos sendo realistas, porque estamos desejando que possamos fazer uma coisa que não é muito provável que a gente consiga. Ser gentil é ser realista, é saber e respeitar seus próprios limites. É escolher aquilo que é realizável, que é melhor, que é mais adequado. 

 

Para mim é muito difícil sair da inércia do ‘eu mereço’

Na minha visão, o que causa esse escapismo é uma falta de clareza sobre nossas prioridades e quais são as ações mais apropriadas para nos movimentar em relação à elas. A boa e velha listinha ainda é o melhor jeito de elaborarmos o que é importante para nós e “quebrar” essas prioridades e objetivos em ações menores é o melhor jeito de nos assegurarmos de que vamos realizá-los.

 

Então concluindo, o que precisamos para encontrar o nosso caminho? 

 

  • Lembrar que o nosso caminho é sob medida
  • Entender que a pressa é nossa inimiga
  • Saber que o que funciona para os outros não necessariamente vai funcionar para nós
  • Entender que temos estações
  • Compreender o que a vida está pedindo de nós em cada momento
  • Definir o que é sucesso para nós mesmos em cada área da nossa vida
  • Colocar as coisas em prática
  • Assumir riscos
  • Começar a caminhar

Mas ler este texto não adianta nada se você não colocar em prática essas dicas e reflexões, para que o seu caminho para se redesenhando para fazer mais sentido para você. Descobrir nosso caminho, também é definir nosso caminho e só você pode fazer isso.

E depois, é claro, me contar se tudo isto fez sentido para você, deixando um comentário aqui embaixo. O que você achou?

Um abraço, e obrigado pela companhia.

Gostou? Então clique abaixo e compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Para ler mais...

Aviso Sobre o Conselho de Tarot da Semana

Olá meus queridos, Desde que eu comecei a publicar o Conselho de Tarot da Semana, em Junho de 2019 – se não me falha a memória – muitas coisas mudaram na Internet. O Conselho é uma ferramenta poderosa de aconselhamento que tem trazido muito retorno para mim, tanto em satisfação quanto em divulgação do meu

Só é amor se for incondicional – por Maria Teresa Mantelli

Não poderia estrear minha participação nesse espaço tão especial, se não fosse falando do meu tema preferido: amor. Nos meus muitos anos de vida e estudos, reparo que todas as nossas questões giram em torno desse conceito, ora faltando, ora em excesso, mas, na maioria das vezes, sendo o amor muito, mais muito mal compreendido.

Ainda temos muito o que aprender com o Tarot…

Essa semana mesmo eu ensinei meus alunos de Tarot que mais do que usar as cartas para pedir conselhos e responder perguntas, podemos associar as situações de nossa vida com os Arcanos e nos fazermos algumas perguntas que podem nos ajudar a encontrar a Guiança interna que precisamos: – Qual Arcano eu posso associar a

Conheça Meu Trabalho: