fbpx

Tarot e Saúde Mental: um olhar para dentro

Click here to read this article in the English version.

Você já considerou alguma vez que o Tarot pode ser uma ferramenta para que você comece sua jornada de cuidados de Saúde Mental?

Neste artigo, vou te mostrar como eu comecei a fazer essa associação e como você pode se beneficiar dela também.

Eu acredito que a maioria das pessoas, quando pensam em Saúde Mental, não associam imediatamente o assunto ao Tarot e assumo que eu mesmo, durante muito tempo, não fiz essa associação.

Mesmo assim, eu já perdi a conta de quantas vezes meus clientes abordaram o assunto espontaneamente durante a consulta, isso apenas nos últimos seis meses. Eu diria que talvez três anos atrás, isso não era assim tão comum.

Tem sido muito gratificante para mim desenvolver esse trabalho na época em que vivemos, porque hoje talvez mais mais do que nunca, as pessoas estão começando a se abrir mais e mais para discutir seu bem-estar psicológico.

Se você também gostaria de saber como o Tarot, este oráculo ancestral, pode ajudá-lo a lidar melhor com sua Saúde Mental, continue lendo.

 

E o que é o Tarot?

Image by komahouse

Talvez você tenha chegado aqui sem saber o que é o Tarot, e por isso eu farei uma breve explicação. Caso você já saiba, pode pular para a próxima parte do texto.

O Tarot é um baralho com 78 cartas, que foi desenvolvido em algum momento cerca de 700 anos atrás (a data e o local exato são desconhecidos), como um jogo de cartas. Lá pelo final do século XVIII, começou-se a usar o Tarot para fins divinatórios, ou seja, para trazer respostas à perguntas feitas às cartas.

Embora como Tarólogo a principal demanda que recebo seja para responder perguntas sobre o futuro, a grande potencialidade do Tarot reside na análise do presente. Ao entendermos nossas questões enfocando o presente e como podemos agir no hoje para construir um futuro que faça mais sentido para nós.

 

E o que é Saúde Mental?

A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) não tem uma definição rígida para Saúde Mental. Entende-se que é o nível de qualidade de vida cognitiva e/ou emocional de um indivíduo, em um dado momento. No entanto, eu encontrei essa definição no site da Secretaria da Saúde do Paraná, que achei especialmente relevante, principalmente na compreensão da relação do Tarot com as aplicações para a Saúde Mental:

“Saúde Mental é estar de bem consigo e com os outros. Aceitar as exigências da vida. Saber lidar com as boas emoções e também com as desagradáveis: alegria/tristeza; coragem/medo; amor/ódio; serenidade/raiva; ciúmes; culpa; frustrações. Reconhecer seus limites e buscar ajuda quando necessário.”

Saúde Mental não é ser alegre o tempo todo, ou não sentir raiva ou ódio, ou sempre ser pacífico e sorridente. Nada disso. É transitar entre as diferentes emoções, tendo reações proporcionais as diversas situações que vivemos no dia-a-dia e se reconhecendo na sua forma de lidar com essas situações. Não é um estado fixo, em que nos sentimos “bem” o tempo todo, mas antes ser capaz de viver com estado geral de bem-estar, apesar das flutuações naturais que experimentamos.

E é importante ressaltar que ter problemas de Saúde Mental não faz de ninguém uma pessoa fraca, ou instável, ou indigna de confiança mas antes, nos lembra de nossa condição humana de vulnerabilidade. A OMS estimou que, apenas em 2015, cerca de 322 MILHÕES de adultos estivessem vivendo com depressão em todo o mundo.

Agora que estabelecemos uma melhor compreensão de Saúde Mental, vamos falar um pouco sobre…

 

Desequilíbrio e Desespero

Em algum momento da sua vida você diria que se identificou com essa imagem?

Image by Dyversions

Quando estamos começando a ter problemas que afetam nossa Saúde Mental, é muito comum que (embora sintomas variem imensamente de pessoa para pessoa) comecemos a não nos reconhecer em nossas atitudes. Agimos (ou deixamos de agir) e logo nos questionamos “mas eu não sou assim”. É começar a sentir que aquelas características que nos definem, estão desaparecendo. Nos sentimos como se estivéssemos deixando de existir. A ausência de nossa prévia sensação de equilíbrio (e são frequentes os relatos de que só após a perda dele, se percebe como ele existia) nos faz sentirmos como se estivéssemos lentamente desaparecendo.

Depois, vem o desespero.

Durante o dia, a maioria das pessoas usa uma “máscara”, uma “atitude adulta” que desenvolvemos para nos ajudar a fazer o que precisamos fazer. Nossas obrigações – família, contas, expectativas etc – nos forçam a seguir em frente, apesar do custo para nosso bem-estar. Mas é nas horas silenciosas da madrugada, frequentemente sozinhos olhando o teto do nosso quarto, ou os mesmos episódios daquela série do Netflix que já é nossa conhecida, que contemplanos todos os nossos espaços vazios e o sentimento de que não reconhecemos nossas próprias vidas. E aí vem o desespero e a angústia.

Em momentos como estes, muitas pessoas consideram acabar com tudo. Para muitos, é um pensamento apenas, enraizado em um sentimento de exaustão ao invés de uma real vontade de tentar. Mas acontece sim uma desistência momentânea, um momento de “já chega” que os faz considerar que é hora de ir. É assim que o desespero e a solidão funcionam às vezes.

Image by Gerd Altman

Aqui eu não estou me referindo as pessoas que de fato chegam a tentar acabar com tudo – especialmente porque eu não atendo pessoas que estão considerando isso seriamente, pois seria irresponsável da minha parte – mas sim querendo chamar a atenção para o fato de que em um momento de breu, muitas pessoas consideram sim essa “saída” e o medo de enfrentar novamente esse abismo é o que os leva a buscar ajuda. E é mais comum do que se imagina que esse primeiro grito de ajuda venha através de algo que as pessoas tendem a associar de certa forma à espiritualidade, como o Tarot.

Vamos relembrar a última linha da definição de Saúde Mental que mencionei mais cedo “Reconhecer seus limites e buscar ajuda quando necessário”.

Quando a pessoa percebe a dimensão de sua situação, ela ultrapassa um limite. E isso frequentemente leva ao ponto em que se pede ajuda.

E foi esse tipo de demanda que começou a trazer a minha atenção para esse potencial do Tarot, como uma porta de entrada para que as pessoas comecem a cuidar mais da Saúde Mental.

 

E como o Tarot e a Saúde Mental se encontram?

IMPORTANTE: o trabalho com o Tarot NÃO substitui de forma nenhuma o apoio psicológico ou medicamentoso e eu NÃO apoio que se substitua as abordagens cientificamente aceitas por quaisquer abordagens alternativas. O trabalho que desenvolvo e recomendo com o Tarot é um trabalho de terapêutica complementar, ou seja, que se propõe a somar-se a abordagens tradicionais.

Dito isso…

É absolutamente lógico que alguém se pergunte porque não então ir direto procurar um Psicólogo.  Eu respondo: sem dúvida, vá! Eu acho ideal, perfeito! Eu mesmo sou acadêmico de Psicologia e serei também Psicólogo em breve.

No entanto, há ainda muitos estigmas rodeando as questões de Saúde Mental e para muitas pessoas, é difícil e até vergonhoso abordar esses desafios através dos tratamentos mais estabelecidos. Nos últimos anos, o preconceito em tomar remédios para lidar com insônia, desequilíbrios de humor etc tem diminuído, mas as pessoas preferem pensar que estão apenas tomando algo como uma aspirina para uma leve dor de cabeça, ao invés de encarar esses medicamentos como apenas parte de um tratamento muito mais complexo que poderia até mesmo não envolver necessariamente a medicação.

Até poucas décadas atrás, praticamente qualquer diagnóstico psicológico ou psiquiátrico, ou mesmo homossexualidade, transsexualidade, uma mulher desejando um papel qualquer além da submissão ou qualquer outro “desvio” da norma social, poderia resultar em uma internação manicomial.

Ainda que hoje se fale muito mais e de forma mais aberta sobre os desafios de Saúde Mental, nós ainda temos um longo caminho à seguir. E por causa disto, para muitas pessoas, é muito mais fácil fazer a conexão com as imagens guardadas na memória de uma cartomante que se viu em novelas do passado ou em uma série de TV, e buscar um Tarólogo para responder suas perguntas e trazer um pouco de paz.

Eu diria que só em 2019, eu recomendei terapia com um Psicólogo para talvez 60% dos meus clientes, depois de uma consulta. Mas a maioria deles só considerou realmente a possibilidade depois das auto-reflexões proporcionadas pela própria consulta. Antes, era algo que eles pensavam que “não é assim tão sério”, “logo passa” ou até “eu sou assim mesmo” ou que “é frescura”.

O Tarot, e mais especificamente uma consulta com um Tarólogo com um viés de autoconhecimento, é um momento de olhar para sua vida e receber respostas e orientações que te direcionam a entender os caminhos que te trouxeram até o ponto em que você está. De identificar alguns dos seus padrões que não te servem mais, perceber que você talvez não tenha tanta clareza do que você realmente quer para si e talvez por isso tem tomado decisões erradas. E descobrir quais podem ser as melhores opções para seguir em direção a um futuro que faça mais sentido para você.

E é assim que Tarot e Saúde Mental se encontram.

Quais são os papéis nesse trabalho

Nesta linha de trabalho, o Tarólogo é um facilitador e o Tarot é uma ferramenta de auto-reflexão.

No filme “O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel”, há uma cena em que a elfa Galadriel oferece a Frodo e Sam para que olhem em seu Espelho e ela diz a eles que o que o espelho mostrará, nem os mais sábios entre os sábios podem prever.

Na relação entre Tarot e Saúde Mental, o Tarólogo é Galadriel, o Tarot é o Espelho e o cliente seria Frodo e Sam.

Como Tarólogo e facilitador nesse processo, eu sou responsável por ajudar o cliente a descobrir quais são os tópicos mais importantes para abordar na consulta e como colocar em palavras suas preocupações. E então, eu interpreto as mensagens do Tarot e as coloco nas melhores palavras possíveis para trazer clareza ao cliente.

Sou responsável por usar meu conhecimento, experiência e intuição para tecer respostas, ensinamentos, conselhos, conforto e às vezes até mesmo um convite à ação, através do Tarot, para oferecer suporte ao cliente em seu caminho.

Assim, de posse disto, o cliente será mais capaz de de continuar sua jornada em busca de mais equilíbrio e assim inclusive buscar ajuda especializada, como a de um Psicólogo.

Além disso, quando estamos em um momento de breu, duas das coisas que mais precisamos são direção e respostas.

Queremos clarear nossos porquês, e nosso estado de desorientação grita por perspectivas. E um Oráculo como o Tarot, sendo algo que revela o que nos está oculto, faz muito sentido nesse contexto.

Por tudo isso, o Tarot é uma é uma resposta previsível para pessoas que precisam de apoio emocional, pois um Tarólogo experiente pode oferecer respostas e orientações imediatamente aplicáveis.

eu interpreto as mensagens do Tarot e sou responsável por colocá-las em palavras e utilizar minha experiência e competência profissional para tecer ensinamentos, orientações, perguntas e respostas relevantes que tragam clareza, informação, conforto e direção para o cliente em sua jornada de vida. Assim, de posse dessas informações e questionamentos ele pode iniciar a jornada para recuperar sua Saúde Mental, inclusive buscando a ajuda especializada que ele precisa, como a de um Psicólogo ou de medicamentos.

Além disso, mais do que normalmente, quando estamos desesperançados, queremos respostas. Queremos esclarecer nossos porquês, e nosso estado de desorientação grita por perspectivas. E um Oráculo (aquilo que revela coisas ocultas), é um caminho até lógico nesse momento. Por isso, o Tarot é uma resposta previsível para pessoas que se encontram necessitadas de apoio emocional, por ser capaz de oferecer respostas e orientações de aplicação imediata.

Muitos poderiam dizer que, no lugar do Tarot poderíamos então colocar qualquer outra terapia complementar que servisse de porta de entrada para esses cuidados continuados de Saúde Mental que devolveriam o indíviduo a esse protagonismo de si mesmo. E é verdade. Não há nada de especial no Tarot nesse sentido. Nem no Tarólogo. E não é pra ter mesmo. O que é especial é a capacidade que cada ser humano tem de reconstruir-se a si mesmo inúmeras vezes ao longo da vida, escalando de volta do mais profundo desespero até um momento de esperança e bem-estar. E qualquer caminho responsável para se conseguir isso terá meus aplausos.

Mas este caminho através do Tarot é o que vem tornando possível, para tantos dos meus clientes, recuperar um senso de esperança e direção e então começar o caminho de volta para a Saúde Mental.

Me vem a memória uma consulta recente em que um cliente me disse apontando para mim e para as cartas “isso aqui sou eu pedindo socorro”. Meus olhos ficam marejados apenas de lembrar.

Eu desejo que onde quer que você esteja você peça ajuda e a encontre. E que você encontre também empatia e suporte pelo seu caminho.

E se você sentir em si mesmo a vontade de vir nesta jornada comigo, você me encontrará de braços abertos.

Entre em contato comigo por aqui ou clique aqui para saber mais sobre consultas comigo.

Gostou? Então clique abaixo e compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Para ler mais...

Aviso Sobre o Conselho de Tarot da Semana

Olá meus queridos, Desde que eu comecei a publicar o Conselho de Tarot da Semana, em Junho de 2019 – se não me falha a memória – muitas coisas mudaram na Internet. O Conselho é uma ferramenta poderosa de aconselhamento que tem trazido muito retorno para mim, tanto em satisfação quanto em divulgação do meu

Só é amor se for incondicional – por Maria Teresa Mantelli

Não poderia estrear minha participação nesse espaço tão especial, se não fosse falando do meu tema preferido: amor. Nos meus muitos anos de vida e estudos, reparo que todas as nossas questões giram em torno desse conceito, ora faltando, ora em excesso, mas, na maioria das vezes, sendo o amor muito, mais muito mal compreendido.

Como Descobrir o Meu Caminho Na Vida?

Uma das primeiras coisas que eu quero deixar claro aqui nesse artigo é que o seu caminho na vida vai muito além da forma como você vai ganhar dinheiro e custear a sua sobrevivência. Essa é uma ideia equivocada e estreita. O seu caminho é a estrutura da sua vida. Muito além de ter uma

Conheça Meu Trabalho: